Minha Instax Mini 8!

Nesse belo dia de Natal vim compartilhar com vocês um presentinho que eu ganhei há uma semana, mas só encontrei tempo para falar a respeito agora. Estou falando da minha Instax Mini 8, dada pela minha maravilhosa, linda e loira mãe (inclusive, morrendo saudade dela aqui!). Vários desencontros ocorreram até que eu pudesse colocar as minhas mãos na Mad, como a nomeei. Primeiro que a entrega atrasado e ela chegou um dia depois que eu viajei, então só pude pegá-la quando vim pra São Paulo e encontrei com os meus irmãos. 

A câmera não é bem uma novidade, mas venho querendo uma instantânea há um certo tempo já, algo sobre elas e a as analógicas me encanta. Quem nunca, quando criança, assistiu aqueles filmes e ficou "meu deus, as fotos revelam na hora!", eu achava coisa de outro mundo. Sou fã das fotos espontâneas, dos sorrisos verdadeiros, dos momentos desprevenidos quando mostramos nosso lado mais real. Hoje em dia acredito que estejamos "mimados" pela tecnologia, a possibilidade de tirar dezenas de fotos até achar uma perfeita faz com que percamos o timing e a autenticidade da fotografia. Apesar de a qualidade ser inegavelmente melhor, os retratos não devem ter apenas isso. 



A Instax é da Fujifilm e tem uma boa variedade de cores, optei pela Framboesa por ter sido o mais próximo que encontrei do vermelho, a minha cor favorita. Ela é linda, leve, prática e funciona à pilha (e na embalagem já vem um par para começarmos os trabalhos). Minha mãe ainda foi uma linda e deixou que eu comprasse junto com a câmera, dois pacotes de filme com 20 poses cada. Os preços são bem salgadinhos, então estou tentando ser super econômica com minha fotografias. 

Ela possui algumas funções bem fáceis de entender (ambiente interno, dia nublado, dia bom, dia claro e hi-key), usei as primeiras 10 poses para testar as opções. Por ter um flash e não ser possível desativá-lo, as fotos tiradas na luz do sol, por exemplo, acabam saindo super claras mesmo na função apropriada para muita luz, mas não me incomodei muito com isso, acabei adotando como parte da experiência mesmo.


As fotos saem com uma carinha vintage e, sério, é viciante! Fico me segurando para não tirar foto de absolutamente tudo. A câmera não é cheia de funções, é bem intuitiva e prática de usar. Já estou namorando um acessórios dela no ebay, lentes diferentes, capas e etc. 

Diversão é bem a palavra para descrevê-la, já tinha tido algumas experiências com ela porque a Isabela tem uma, então sempre que tinha filme nós não perdíamos a oportunidade de fazer as poses mais engraçadas e nos divertir bastante. Tenho uma teoria que é impossível alguém sair muito ruim em uma foto na Instax, ou pelo menos eu nunca vi acontecer, haha. 

Meu veredicto é que amei demais a câmera! Já separei um pacote de filme para a próxima viagem e para dar uns cliques com os amigos quando voltar para casa. 


A Mad e eu estamos mandando mil vibrações boas para vocês nessa manhã de Natal e até o próximo post! E vocês, quais foram os presentinhos de Natal por aí? Espero que tenham gostado, deixem seus comentários e sugestões sobre como estão sendo as comemorações aí do outro lado. Xoxo. 

Nenhum comentário

Olá olá! Obrigada por ler o post e sinta-se à vontade para comentar! Não esqueça de voltar para ver a sua resposta, tento responder a todos. E, se você tiver um blog, deixe o link ao fim do comentário, adoro conhecer coisas novas!